Transtorno Bipolar

Acabo de assistir uma reportagem sobre o chamado “transtorno bipolar” que foi veiculado em um programa de notícias de alcance nacional.

Houveram depoimentos, opiniões, imagens, mas nenhum fato. Então, uso aqui deste meu humilde canal de comunicação para divulgar um fato que este meio jornalístico omitiu:

NÃO EXISTE NENHUM EXAME CIENTÍFICO QUE DIAGNOSTIQUE O TRANSTORNO BIPOLAR.

O diagnóstico desta “doença” é mera opinião médica. É apenas um rótulo para um conjunto de sintomas que pode variar de pessoa para pessoa.

A reportagem, através de entrevistas com psiquiatras, veiculou opiniões através de frases de impacto como: “É uma doença.”, “Não tem cura.”, “É possível apenas manter sob controle com medicamentos”. Enquanto tais frases de impacto eram veiculadas, a reportagem passava imagens de comprimidos e outros medicamentos. Para um conhecedor de Programação Neurolinguística e hipnose, foi realmente um espetáculo de manipulação e instalação de crenças em massa.

Na minha opinião, aprender a lidar com as sensações, os pensamentos e as emoções é essencial para não sofrer com os desafios e o estresse que a vida lhe proporciona. Autoconhecimento é a resposta. Se você for diagnosticada com “transtorno bipolar” por alguém, procure se conhecer antes de tomar qualquer medicamento que atua no sistema nervoso central. Há diversos cursos e terapias com este objetivo.

Hoje em dia, numa sociedade onde a doença é fonte de lucro, tomar responsabilidade pela própria saúde é essencial para se manter saudável.

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (7 votes, average: 4,43 out of 5)
Loading...

Comentários

    21 respostas para "Transtorno Bipolar e a Mídia"

    • Rita Buratto

      Bom dia Saulo, tudo bem?
      Também assisti essa reportagem. Hoje em dia tem que ser dado “rótulos” para tudo. Quando não há vontade de explicar algo se rotula: Transtorno Bipolar, Síndrome do Pânico, Depressão, Stress, Virose…etc….e tudo é controlado com remédios, muitas vezes por falta de habilidade ou conhecimento do médico. Eu compartilho das suas crenças sobre a saúde e acredito que as pessoas estão começando a despertar sobre a importância do auto-conhecimento. Fomos criados para a saúde. A doença é apenas o reflexo de algo que está nos acontecendo e que está causando esse desiquilíbrio. Parabéns pela colocação. Abraços. Rita Buratto.

    • Saulo Fong

      Olá Rita,

      Obrigado pelas palavras. Realmente os sintomas são apenas sinais de que algo pode ainda ser trabalhado em nós. Podiam ser tratados como jóias ! Uma pena que a medicina os considera como inimigos. Felizmente, algumas pessoas já estão tomando consciência disso tudo. Abraços !

    • Alice Ribeiro

      Como eu gostava com a medicação, mas recorrer a outros sistemas, tambem inclui despesas, e, n me posso dar a esse luxo, porque sou reformada e, por mais medicamentos que me deiam, sempre são comparticipados, enquanto que, no que acredito que não é necessário “enfrascar-me”,pago, e n são baratos. Tomo medicamentos para cólon irritável,anti-depressivos, e, sindrome de panico…………..Acredito fielmente, que resolvia isto tudo sem medicamentos, até , porque estas doenças, alteraram a minha qualidade de vida………………..Tou sem saída!!!!!!!!!!!!

      • Saulo Fong

        Olá Alice,

        Colocar as despesas dos medicamentos no papel e procurar outras alternativas que caibam no seu bolso pode lhe a ajudar a vislumbrar outras possibilidades. É uma questão do que você está disposta a enfrentar. Talvez, os remédios sejam a “solução” mais rápida e fácil, mas tem também as suas consequências.

        É uma questão de escolha e de assumir responsabilidade por elas.

    • Lena Rodriguez

      Parabéns Saulo!!
      Quando eu há alguns anos atrás coloquei em uma comunidade do Orkut que eu estava curada desse tipo “transtorno”, com o único propósito de dar um alento a comunidade e deixar claro, que temos escolhas e que não precisamos acreditar no que nos é dito pelos médicos, de que “não há cura”, fui praticamente linchada!!! Claro que sai da tal comunidade!
      O que pude perceber em mais de quinze anos tratando da causa de distúrbios ou patologias na área energética, é que a maioria das pessoas, infelizmente, não deseja sair da zona de conforto, a síndrome do “coitadinho de mim” (inconsciente é claro), mas muito forte, não lhes dá permissão… é como me disse uma amiga em um comentário bem chulo, mas muito apropriado: “está fedido, mas está quentinho”. Aos 19 anos de idade, a partir de um livro que li sobre suicídio, fiz uma escolha entre, – ou me mato ou me curo… Busquei a cura e fora da medicina ortodoxa, pois algo dentro de mim dizia não ser este o caminho!
      Bem, encontrei a paz interna, o bem mais precioso que podemos encontrar e está aqui mesmo, dentro de todos nós… e meu trabalho, depois de mim mesma, é o que mais amo nesta existência.

      • Saulo Fong

        Lena,

        Obrigado por dar seu depoimento e parabéns por ter ido atrás da solução.

        Entrei no seu site e vi que também faz auto-hemoterapia. Eu já faço aplicações há quatro meses e também tenho tido bons resultados. Podemos trocar figurinhas nessa área também.

      • Mary

        Lena e Saulo,
        Estou muito interessada no assunto: buscar a cura para o transtorno bipolar. Eu também acredito na cura sem remédios, mas penso que no início é quase impossível.
        Convivo com uma pessoa que tem transtorno bipolar e não aceita tomar remédios. Ela tem crises de euforia e nunca teve de depressão. Está fazendo tratamento psicológico com hipnose e tem melhorado muito. Mas ainda não consegue passar por nenhuma contrariedade e se esforça o tempo todo (como se tivesse de tpm). A convivência com ela não é fácil, mas ela não percebe. Fora os poucos momentos que está dando carinho e fazendo denguinho, está sempre preparada para guerra, defende seu ponto de vista de forma alterada e arrogante. E não tem consciência disso, ela acha que todos estão errados menos ela. Ela acha que é assim: que são suas características pessoais. Mas ela não era assim. Era falante e com muita opinião, mas era meiga e solidária. Já passamos por muitos médicos e todos disseram que ela precisa do remédio.
        Pesquisei muito e é a primeira vez que vejo exemplo de cura sem remédio.
        Mas quero fazer uma ressalva: Acho que quem foi diagnosticado com transtorno bipolar deve, quando achar que está curado, buscar confrontar a sua autoavaliação com outras avaliações feitas por pessoas com quem convive. Esta avaliação deve ter um período suficiente para incluir situações de descontentamento, de conflitos. Acho que assim poder-se-ia dizer que houve cura.
        Passarei a consultar o seu site e pretendo estudar neurolinguistica. Quero ter mais informações antes de divulgar essa informação.
        Abraços,
        Mary

    • Caio Bernardes

      Desculpa Saulo, mas não é bem assim como você descreve, que por mais que eu concorde que a mídia manipule certas informações e seja sensacionalista, não é por simples opinião médica. Assim como no TDAH(transtorno de deficit de atenção com hiperatividade) Podendo ser diagnosticada não com exame especifico, mas pode ser identificada por uma falha no cérebro, mais especificamente o lobo pré frontal que é responsável por filtrar as ondas elétricas e transforma-las em emoções. Dessa forma é diagnosticada a Bipolaridade, onde uma hora ela funciona de de forma correta e outra não. Pelo que percebi, mera opinião é a sua, onde não se baseia em nenhum dado real. A mídia é sensacionalista sim, mas pior do que ela, são pessoas que sem embasamento nenhum, saem falando sobre assuntos dos quais não procuram pesquisar o mínimo possível para dar uma opinião. Enfim, pense nisso!

      • Saulo Fong

        Olá Caio,

        Por acaso você conhece esta pesquisa que associa tais transtornos à uma falha no cérebro ou você simplesmente leu algo na internet ? Um outro ponto é: quem foram as pessoas que fizeram parte da pesquisa ? Elas já estavam em algum tratamento com algum remédio que atua no sistema nervoso central ?

        Em um dos meus cursos, havia um professor aposentado de farmacologia da USP. Na opinião dele, os psiquiatras não sabem o que estão receitando para seus clientes. Ele disse que se conhece muito pouco sobre todas as drogas que atuam no sistema nervoso. E elas sim alteram a estrutura do bioquímica do cérebro. Portanto, se alguma dessas pessoas que fizeram parte desta pesquisa estava e ou esteve em qualquer tipo de tratamento com algum remédio deste tipo, toda a pesquisa se torna inválida.

        Uma outra pergunta: se já sabem disso, então por que ainda não existe nenhum exame que diagnostique tais transtornos ANTES da pessoa tomar qualquer medicamento ?

        O dado real está escrito no artigo e você mesmo aceitou. Não existe nenhum exame específico que diagnostique QUALQUER transtorno mental. Isto não é mera opinião. É fato.

        Estas pesquisas que tentam provar tais transtornos também já partem do pressuposto de que existe um problema no cérebro. Descartam totalmente a possibilidade que a causa pode estar na forma de pensar. E a forma de pensar também afeta a estrutura do cérebro. Prova disso são as pesquisas realizadas em pessoas que meditam. E aí caímos no dilema do que veio primeiro: a estrutura do cérebro que está afetando a forma de pensar, ou a forma de pensar que está afetando a estrutura do cérebro ?

        Infelizmente, a maioria das pesquisas nesta área são financiadas por indústrias farmacêuticas, pois se eles conseguirem associar a doença à uma parte do cérebro, basta inventar uma fórmula que atue nesta área para que produzam alguma droga.

        Sabe-se ainda muito pouco sobre o cérebro e a mente. Já tivemos clientes que tomam tais medicamentos há anos, e sempre aumentando a dose. Já ouvi um relato de um psiquiatra que toma 8 comprimidos de rivotril para dormir. E este comportamento até faz sentindo, pois este é o único tratamento que ele acredita.

        Enfim, o objetivo do artigo é justamente esse. Fazer com que as pessoas reflitam, questionem e pesquisem. A responsabilidade pela própria saúde é de cada um.

    • Maria

      Olá Saulo.

      Achei legal seu artigo, realmente muita coisa que passa na tv serve mais para manipular e aumentar as vendas de certa industria do que para informar e ajudar as pessoas.

      Temos que ser taxativos e saber julgar e filtrar todas as informações que a grande mídia nos passa diariamente.

      Todas as doenças psíquicas devem ser tradas e abordadas com extremo cuidado.

    • Roseli das Graças Pitz Largura Barbosa

      Saulo,gostaria de saber mais sobre como lidar com as sensações, os pensamentos e as emoções.Têm alguma sugestão que possa me ajudar?

      Roseli

      • Saulo Fong

        Olá Roseli. O primeiro passo é percebê-las e tomar consciência delas. Sensações, pensamentos e emoções influenciam uns aos outros. Levar a atenção para o corpo e trazer a consciência para o momento presente é um poderoso exercício. Estes três aspectos também são influenciados pela forma de você interpretá-los. Todos os estímulos são neutros por natureza, mas somos nós que os interpretamos de forma positiva ou negativa. Eu tenho um trabalho digital que pode ajudar. É o Processo Despertar do Amor. Você pode saber mais no site:

        http://www.despertardoamor.com.br

        Um Abraço,

        Saulo

    • Glicia Pinto

      Olá Saulo. Ultimamente tenho mim tornando uma pessoa muito negativa,e muito ansiosa principalmente qdo estou só, fico muito ansiosa não consigo mim controlar, fico achando q tou doente faco exames náo tenho nada mas a minha mente n se controla Já fui em pisicologos e a resposta é a mm procure se controlar mas náo consigo. Sera q VC poderia mim ajudar? Agradeço muito.

      • Saulo Fong

        Olá Glicia,

        É um processo de aprendizagem. Você aprendeu a ser assim. Para aprender uma nova forma você pode fazer cursos ou terapia.

        Um Abraço,

        Saulo

    • Vera

      Olá, Saulo,
      a partir de que idade o Processo despertar do amor é indicado ?

      • Saulo Fong

        Olá Vera. Não há contra-indicações para o Processo Despertar do Amor. O importante é a pessoa querer passar pelo processo.

        Um Abraço,

        Saulo

        • Vera

          Já adquiri e estamos felizes com os resultados. Um abraço, Saulo!

    • Renato

      Boa noite, Saulo! Pelo que entendi, vc tem transtorno bipolar e faz auto hemoterapia. Será que poderíamos trocar informações? Fico no aguardo. Grande abraço!

      • Saulo Fong

        Olá Renato,

        Na verdade não tenho transtorno bipolar, mas já fiz auto-hemoterapia por 8 meses. Não compartilho da ideia de rotular os sintomas que estão relacionados com à mente. Somos muito mais que isso e o ser humano é dinâmico por natureza. Rotular uma pessoa com tendo isso ou aquilo (bipolar, depressiva, ansiosa etc) é tentar eternizar o momento presente, que considero outra armadilha da mente.

        Um Abraço,

        Saulo

    • Laine

      Há quatro anos fui diagnosticada com transtorno bipolar, mas nunca me convenci acerca do que os tais psiquiatras estavam diagnosticando. Isso ocorreu, porque diante de um problema de corrupção apresentado na instituição em que atuava, me exaltei, mas não fui colérica nem eufórica. Apenas olhei firmemente nos olhos das pessoas que agiram mal e fui sincera. Após isso, minha família e os colegas de trabalhos começaram a me taxar de bipolar e passei a tomar estabilizador de humor. Durante mais de 3 anos nem melhorei nem piorei, até que resolvi fazer terapia comportamental cognitiva e agora sim estou me reencontrando e me conhecendo melhor.

    • AP

      Olá. Infelizmente ter o tal transtorno é complicadíssimo.
      Minha vida com Transtorno Bipolar… sempre fui muito esperta, raciocínio rápido, fazia mil coisas ao mesmo tempo, depois vinha a melancolia… assim ia até hoje com 32 anos de idade, eu achava que era normal ser assim… Sempre trabalhei muito, era assessora de juiz e estava há 4 anos sem férias, o que contribuiu muito para o alto nível de stress… Comecei a ficar cada vez mais estranha, achava que era o cansaço, desânimo, então eu surtei, comecei a pensar que a 3ª guerra mundial estava iminente e que eu tinha a obrigação de alertar a todos… saí em todas as Varas do Fórum onde trabalhava falando coisas absurdas e desconexas a respeito da guerra que eu acreditava estar sendo deflagrada… Perdi o emprego… por preconceito e falta de humanidade do Juiz com quem eu trabalhava há 8 anos, 4 deles sem férias… dentro do próprio Judiciário (diga-se de passagem)… tive outro surto acreditando ser Jesus e que os ET’s estavam invadindo a Terra… tive vários surtos e fiquei internada. Acredito que se eu tivesse procurado psiquiatra antes não teria chegado a tal ponto. Eu pensava que meu jeito de ser “positiva” e franca demais, muitas vezes depressiva com tudo era apenas uma forma de ver o mundo… hoje estou na fase depressiva, não acredito mais em mim, penso que meu futuro é um fracasso certo, não tenho energia pra nada, evito ao máximo sair de casa… e não quero trabalhar… tem muita gente tentando me ajudar, me inserir novamente no mercado de trabalho… mas eu estou apática… Em suma, a doença é grave acaba com sua autoestima e só entende quem realmente passa por isso e quem muito pesquisa buscando verdadeiramente compreender…

Deixe um Comentário:

Your email address will not be published.

seis + 8 =